Make your own free website on Tripod.com
Nosso Universo é Finito

Novas evidências estão sendo estudadas através do Big Bang, a explosão que criou o nosso Universo há 13 bilhões de anos. Para explicar a perfeita luminiscência da explosão, que chega à Terra de todos os lados e ao mesmo tempo e exatamente com a mesma intensidade, um matemático americano, Alan Guth, propôs que o Cosmo brotou de um único ponto da explosão que não continha variações de densidade. Se o nosso Universo surgiu apenas de um ponto da explosão, isso significa que outros pontos podem ter gerado diversos cosmos iguais ou semelhantes ao nosso!
Sendo assim, o nosso Universo é de fato finito! Em algum lugar do Cosmo haveria uma fronteira do nosso Universo com muitos outros, delimitado por uma linha de uma "substância hipotética", denominada "falso vácuo".

Os Outros Universos

Os cientistas acreditam que os outros cosmos seriam governados por diferentes leis físicas e seus próprios objetos celestes. Pela teoria de Alan Guth, na explosão do Big Bang o Universo passou por um crescimento gigantesco em menos de 1 trilionésimo de segundo, onde toda a matéria e energia se transformou em um "falso vácuo". Essa forma ficou rarefeita, fazendo com que ele se transformasse em partículas como prótons e elétrons. Essas partículas se transformaram em "bolhas", que cresceu até se tornar um universo inteiro, tudo isso em apenas 1 segundo após a explosão do Big Bang. Cada universo, então, encheu-se de estrelas e galáxias, somente depois de 1 milhão de anos da explosão.

O Falso Vácuo

O falso vácuo possuiria duas propriedades essenciais: seria dotado de "antigravidade", com a qual teria aumentado o tamanho do Cosmo; e seria constituído por uma substância hipotética que foi se tornando cada vez mais rarefeita.
Depois de gerar os universos através das "bolhas", o falso vácuo teria ficado sem ação, ou continuado a afastar as galáxias. Se considerarmos a segunda hipótese, podemos descobrir uma maneira de chegar ao outro universo. Seria uma viagem inviável, considerando a hipótese de que os cosmos poderiam se afastar à velocidade da luz. Mas se o distanciamente não for tão rápido, nada nos impedirá de tentar uma travessia!
JÁ IMAGINOU?!

FONTE: Revista Super Interessante - maio/1999