Make your own free website on Tripod.com

Ciência do Jacaré

Home

Membros | Campanha de defesa ao Jacaré | Jogo do jacaré | Jacaré, o animal misterioso | Interpretação dos Textos | Curiosidades do animal | O cerrado
Jacaré, o animal misterioso

De gerações... em gerações... o jacaré anda sendo o animal mais misterioso, e mais valioso do mundo.
Muitas pessoas tentam descobrir seus mistérios e custumes. Por isso,fizemos essa pesquisa:

Jacaré
Até meados do século XX, foi intensa a perseguição movida aos jacarés pelo homem, com o objetivo de extrair seu couro. A consciência ecológica levou, contudo, à adoção de leis severas para protegê-los em seus habitats.
Réptil anfíbio e carnívoro da ordem dos crocodilianos, o jacaré, que tem de 1,20 a 2,60m de comprimento, pertence à família dos aligatorídeos, junto com os aligatores dos Estados Unidos, que medem de 1,80 a 5,80m. À mesma ordem pertencem os crocodilos da África, ainda maiores (podem chegar a até dez metros), e os gaviais indianos, que têm cerca de seis metros. Além de viverem muitos anos, todos esses animais não param nunca de crescer, explicando-se assim o grande porte que atingem.
Relacionados, na linha da evolução, aos dinossauros, os jacarés são musculosos e fortes e têm a pele guarnecida por uma couraça de placas, resistentes e às vezes ossificadas, que se articulam umas com as outras através de ligações membranosas. Como os demais crocodilianos, os jacarés possuem coração de quatro cavidades, que permite a irrigação da cabeça por sangue oxigenado puro. O focinho é longo e estreito, mas se alarga na ponta, onde estão as fossas nasais. Os dentes cônicos, substituídos depois que se desgastam, acham-se implantados em alvéolos. Essas e outras características fazem dos jacarés e seus parentes o grupo mais bem-sucedido, entre os répteis atuais, na organização corporal.
Na lama dos brejos, onde passam longos períodos esticados ao sol, os jacarés são desajeitados ao se arrastarem com a ajuda das patas curtas, iguais e de unhas fortes nos dedos. Uma vez dentro d'água, porém, seu corpo abrutalhado torna-se muito ágil e é impelido no nado por lambadas da cauda, que às vezes também serve de leme. Quando nadam despreocupados, deixam apenas as narinas e os olhos salientes à tona. No pantanal, formam grupos numerosos.
Os jacarés se alimentam principalmente de peixes, mas também de aves, insetos e outros pequenos animais. São ovíparos. A fêmea deposita os ovos, de casca dura, cerca de trinta a cinqüenta por postura, em buracos rasos nos brejos. Cobre-os de areia e folhas secas para que a incubação se realize sob a ação do calor e da fermentação dos detritos. Raramente as mães se afastam dos ninhos. A mesma atenção com que os vigiam é dedicada, depois, à proteção da ninhada.
Vistos aos milhares nas áreas mais ermas do pantanal mato-grossense, os jacarés também povoam a Amazônia e várias outras partes da América Central e do Sul. Entre as espécies que ocorrem no Brasil distinguem-se o jacaré-açu ou jacaré-negro (Melanosuchus niger), restrito à Amazônia; o jacaré-de-óculos (Caiman crocodilus), da mesma região; o jacaré-de-papo-amarelo (C. latirostris), que ocorre de Pernambuco ao Rio Grande do Sul e nas bacias dos rios Paraguai, Paraná, Paraíba e São Francisco; e o jacaré-coroa ou jacaré-curuá, nomes que se aplicam indistintamente a duas espécies: Paleosuchus trigonatus, da Amazônia, e P. palpebrosus, com vasta área de dispersão que engloba as bacias dos rios Amazonas, São Francisco, Paraná e Paraguai.
©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.