Make your own free website on Tripod.com

 

 

 

 
      

       Embora a origem do tênis não ser clara, muitos acreditam que o tênis foi inventado em 1873 pelo Major Walter Clopton Wingfield, um oficial britanico. Embora Wingfield reivindicar que o modelo do jogo, que ele chamou Sphairistiké ("jogando uma bola") , muitas autoridades acreditam que ele adaptou os princípios de um jogo popular inglês de tênis de quadra, raquetes squash, e badminton. Recentemente jogadores preferem chamar o jogo de Wingfield de tênis na grama. O jogo foi introduzido em Bermuda em 1873, e de Bermuda foi levado para os Estados Unidos por Mary Ewing Outerbridge , Nova York. O primeiro jogo de tenis na grama nos Estados Unidos foi provavelmente jogado em 1874 em Staten Island Cricket and Baseball Club. 

     O primeiro campeonato amador mundial foi realizado no All-England Lawn Tennis e Croquet Club em Wimbledon, England(homens, 1877; mulheres, 1884). No final de século 19, tênis de grama tem sido introduzido em colônias britânicas e outras nações através do mundo. Nos Estados Unidos, regras locais e padronizações do jogo variou muito até 1881, quando a Associação de Tênis dos Estados Unidos (agora USTA) foi organizado para padronizar regras e equipamentos. 

     No início do século 20 o maior torneio internacional era Wimbledon e o campeonato dos Estados Unidos. Recentemente campeões masculinos de Wimbledon incluem jogadores como Arthur Gore e os irmãos Reggie e Laurie Doherty. Dorothea Douglass Lambert Chambers da Inglaterra venceu o torneio feminino de Wimbledon por sete vezes (1903, 1904, 1906, 1910, 1911, 1913, 1914). Os campeonatos masculino do U.S.foi dominado pelo americano William Larned, que venceu sete vezes(1901, 1902, 1907-1911). As americanas Elisabeth Moore e Hazel Hotchkiss Wightman ambas venceram muitas vezes o campeonato feminino dos Estados Unidos no início de 1900, e  Norwegian-born Molla Mallory venceu oito vezes (1915-1918, 1920-1922, 1926). 

     Na década de 1920 jogadores britânicos, americanos e franceses eram os melhores jogadores internacionais. O americano Bill Tilden dominou o jogo masculino, venceu Wimbledon três vezes (1920, 1921, 1930) e o campeonato dos Estados Unidos sete vezes (1920-1925, 1929). Os jogadores franceses Jean Borotra, René Lacoste e Henri Cochet foram também bem sucedidos, particularmente em Wimbledon. Suzanne Lenglen da França e  Helen Wills Moody dos Estados Unidos foram as líderes dos jogadores femininos. Na década de 1930 os melhores jogadores masculinos incluiam Don Budge e Ellsworth Vines dos Estados Unidos e  Fred Perry da Inglaterra. Durante o mesmo período Moody continuava o seu sucesso, terminou sua carreira com oito títulos em Wimbledon (1927-1930, 1932, 1933, 1935, 1938), sete títulos no campeonato dos Estados Unidos (1923-1925, 1927-1929, 1931), e quatro no campeonato da França (1928-1930, 1932). 
 
 

Billie Jean King - E.U.A

 

     Durante a próxima década jogadores americanos como Pancho Gonzales e Jack Kramer continuaram o seu sucesso. Pancho Segura do Equador cuja carreira continuou durante a década de 1960, também começou jogando internacionalmente na década de 1940. Americanas Americans Pauline Betz, vencedora de quatro o campeonato dos 
Estados Unidos (1942-1944, 1946) e Louise Brough, vencedor de quatro títulos de Wimbledon (1948-1950, 1955). Na década de 1950s, Australia tornou uma força no tênis e jogadores australianos venceram a Copa Davis 15 vezes de 1950 a 1967, composto por Frank Sedjman, Ken Rosewall, Lew Hoad, Roy Emerson e Ashley Cooper. O americano Tony Trabert também tornou um jogador premiado nesta época. Maureen Connolly dominou o tênis feminino no início da década de 50. Althea Gibson venceu  Wimbledon e o campeonato dos Estados Unidos em 1957 e 1958, tornando a primeira jogadora negra a vencer aquele torneio. Durante a década de 60, australianos Rod Laver, Fred Stolle e John Newcombe continuaram o sucesso do tênis do seu país, e ou jogador masculino que tornou proeminente inclui Manuel Santana da Espanha e Arthur Ashe e Stan Smith dos Estados Unidos. Líderes femininos inclui Maria Bueno do Brasil, Margaret Smith Court, Virginia Wade da Inglaterra, e Billie Jean King dos Estados Unidos, que venceu Wimbledon seis vezes (1966-1968, 1972, 1973, 1975). 
 

Arthur Ashe - E.U.A 

     Na década de 70 Newcombe, Ashe, e Smith continuaram seu sucesso, surgindo jogadores como Ilie Nastase da Romênia e Guillermo Vilas da Argentina. Jimmy Connors, cuja carreira se extendeu do início da década de 70 até o meio dda década 90, venceu cinco U.S. Opens (1974, 1976, 1978, 1982, 1983). Björn Borg da Suécia venceu cinco vezes consecutivas Wimbledon (1976-1980). Borg tinha como rival o americano John McEnroe. Entre as jogadores femininas Court, Wade, e King continuaram seu sucesso. Connors, Borg, e McEnroe continuaram seu sucesso na década de 80 e outros jogadores masculino surgiram nesta década como o tcheco Ivan Lendl, Mats Wilander e Stefan Edberg da Suécia e Boris Becker da Alemanha, que em 1985 aos 17 anos tornou-se o mais jovem jogador a vencer Wimbledon. Uma das mais bem-sucedidas jogadoras femininas foi a tcheca Martina Navratilova, cuja carreira extendeu-se do início da década de 70 até o meio da década de 90. Durante sua carreira, Navratilova venceu 167 títulos de simples, incluindo nove títulos de Wimbledon (1978, 1979, 1982-1987, 1990). A americana Chris Evert foi outra jogadora femina dominante durante as décadas de 70 e 80, vencendo sete French Opens (1974, 1975, 1979, 1980, 1983, 1985, 1986) e seis U.S. Opens (1975-1978, 1980, 1982). A rivalidade entre Navratilova e Evert foi um dos mais intensivos e longas da história do tênis. Em 1988 Steffi Graf tem  um ano fenomenal, ganhando o grad slam e a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos. Outra jogadora líder foi American Tracy Austin e a tcheca Hana Mandilikova. 
 

Bjorn Borg - Suécia

     Na década de 90, Lendl, Edberg e Becker continuaram seu sucesso, surgiram jogadores americanos como  Pete Sampras, Andre Agassi, Jim Courier e Michael Chang. Graf iniciou uma rivalidade com a sérvia Monica Seles, que emergiu como jogadora em potencial, vencendo o  U.S., French, e Australian opens em 1991 e 1992. Navratilova permaneceu bem ranqueada até sua retirada das competições de simples em 1995. Arantxa Sánchez Vicario da Espanha, Jennifer Capriati dos Estados Unidos, e Gabriela Sabatini da Argentina também obtiveram sucesso.