Make your own free website on Tripod.com

Localização Geográfica

da

Ilha do Farol do Cabo de Santa Maria

 

As ilhas da Ria Formosa são um dos ex-libris de Faro, a capital do Algarve localizada no Sul de Portugal.

A Ilha do Farol, uma das ilhas da Ria Formosa, fica localizada na Ria Formosa que tem o estatuto de Parque Natural e situa-se no Algarve, que é a região mais a Sul de Portugal Continental. Na Ilha do Farol há algumas habitações de pescadores, de residentes e de férias e é possível alugar casa. Há carreiras regulares de barco a partir de Olhão (todo o ano), junto ao Clube Náutico de Olhão, e de Faro (só no Verão), próximo do Quartel dos Bombeiros Voluntários. O percurso demora aproximadamente 25 minutos.

 

A Ria Formosa estende-se pelos concelhos de Loulé, Faro, Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António e abrange uma área de cerca de 18400 hectares ao longo de 60 km desde o Ancão até à Manta Rota.

  A Ria Formosa, a Sul, é protegida do Oceano Atlântico por um cordão dunar quase paralelo à orla continental, formado por duas penínsulas (Península de Faro que engloba a praia do Ancão e a praia de Faro e a Península de Cacela que engloba a praia da Manta Rota) e cinco ilhas-barreira arenosas (Ilha da Barreta, Ilha do Farol, Ilha da Armona, Ilha de Tavira e Ilha de Cabanas) que servem de protecção a uma vasta área de sapal, canais e ilhotes.

A Norte, em toda a extensão, o fim da laguna não tem uma delimitação precisa, uma vez que é recortada por salinas, pequenas praias arenosas,  por terra firme, agricultável e  por linhas de água doce que nela desaguam (Ribeira de São Lourenço, Rio Seco, Ribeira de Marim, Ribeira de Mosqueiros e o Rio Gilão).

Tem a sua largura máxima junto à cidade de Faro (cerca de 6 km) e variações que nos seus extremos, a Oeste e a Este, atingem algumas centenas de metros.

Este sistema lagunar tem uma forma triangular e apesar de ser reconhecido como ria na realidade não o é porque:

  • uma ria é um vale fluvial inundado pelo mar (o que não é o caso);
  • a laguna existente não é nenhum vale fluvial e é formada por ilhas-barreira.

O seu fundo é constituído essencialmente por sedimentos lagunares (matéria orgânica e vasa salgada), sedimentos continentais (oriundos do transporte pelas ribeiras e escorrência das águas das chuvas)  e sedimentos arenosos (provenientes das correntes de maré, sobretudo nas barras, galgamentos e ventos) que se têm vindo a consolidar com a ajuda da "morraça" que é um tipo de vegetação predominante e característico desta região.

A sua fisionomia é bastante diversificada devido aos canais formados sob a influência das correntes de maré originando, desta forma, uma rede hidrográfica densa.

A origem deste sistema lagunar e do cordão dunar ainda não está devidamente esclarecido. Tudo pode ter começado com movimentos a nível da crosta terrestre a que, ao longo do tempo, se vieram juntar outros factores, tais como modificações na morfologia dos fundos marinhos, o movimento das ondas e a direcção das correntes, as variações havidas no nível do mar, os sedimentos provenientes das falésias do Barlavento e do Continente ou das linhas de água que desaguam na ria e as condições meteorológicas (chuvas, ventos e a diferença de temperaturas, entre outras).

No entanto, sabe-se que este conjunto de Ilhas Barreira, são do tipo transgressivo o que significa que vão recuando para o Continente através da acção do mar (galgamentos) e do vento (cortes eólicos), à medida que o nível do mar em relação ao Continente for subindo (actualmente estimado em 1,7 mm/ano). A prova evidente desta situação é que são descobertos, nos  furos realizados nestas ilhas, depósitos lagunares imediatamente abaixo das acumulações arenosas. Logo, se as ilhas migrassem para o mar encontraríamos, nesses furos, areias e não depósitos lagunares.

A Ria Formosa é uma zona húmida de importância internacional como habitat de aves aquáticas. Está, por este motivo, inscrita na convenção de Ramsar, tendo o Governo Português assumido o compromisso de manter as características ecológicas da zona e de promover o seu uso racional. Esta área protegida está também classificada como zona de protecção especial no âmbito da Directiva 79/409/UE. Esta importância que lhe é reconhecida é devida a:

    * Constituir zona de invernada de aves provenientes do norte e centro da Europa

    * Constituir zona de passagem importante para as migrações entre o norte da Europa e a África

    * Abrigar espécies raras em Portugal

    * Possibilitar a nidificação a espécies cujos habitats têm vindo a regredir.

Na Ria Formosa podem-se encontrar cerca de 2500 espécies de seres vivos, designadamente:

    - 693 espécies de plantas

    - 288 de moluscos

    - 79 de peixes

    - 15 de répteis

    - 11 de anfíbios

    - 214 de aves

    - 18 de mamíferos

    - 8 de Aracnídeos

    - 5 de Crustáceos

    - 6 de Anelídeos